Arquivo da tag: indignar-se

Movimentos sociais, entidades sindicais e da sociedade civil realizam na amanhã, às 9h uma vigília no Palácio Anchieta – mesmo horário do pronunciamento do Conselho de Direitos Humanos do Espírito Santo no Conselho de Direitos Humanos na ONU, em Genebra. O pronunciamento do Conselho capixaba leva à ONU a violação dos direitos humanos no sistema prisional capixaba.
Com os temas: Contra a violação dos direitos humanos no sistema carcerário do ES, Pela liberdade de expressão e Contra a criminalização dos movimentos sociais e da pobreza, a vigília acompanha o pronunciamento que será feito por Bruno Alves, presidente do Conselho do ES, na ONU e vem protestar frente ao descaso com que os governos estadual e federal trataram a situação nos presídios do Estado – nos quais foram encontrados casos de tortura, assassinatos com toques de crueldade, mutilações e superlotação.
A vigília também protesta contra o silêncio dos grandes veículos de mídia em relação ao caso. Enquanto a crise se instaurava a nível internacional, os veículos de imprensa do estado se ausentaram da função de noticiar o ocorrido – inclusive na sexta-feira última, quando o Conselho de Direitos Humanos do ES divulgou informações quanto à visita a ONU. As primeiras palavras só vieram na terça-feira, após leitores perceberem a ausência da coluna de Élio Gaspari em A Tribuna, um ato de censura do jornal, pois se tratava de um texto que atacava fortemente Paulo Hartung e o descaso do estado quanto à questão.
A vigília conta com o apoio e a organização do Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Serra (CDDH), Sindijornalistas/ES, Sindicato dos Bancários (Seeb/ES), Intersindical, Fórum da Juventude Negra (Fejunes), Consulta Popular, Assembléia Popular, Diretório Central dos Estudantes da UFES (DCE), Grupo Olho da Rua, Contraponto, Centros Acadêmicos da UFES, PSOL/ES, Executiva Nacional dos Estudantes de Fisioterapia e da Comissão de Juventude da Igreja Presbiteriana Unida.

A semana passada começou com o Dia Internacional das Mulheres. E da Rússia por “Pão e Paz” aos EUA por melhores salários e redução da jornada… as mulheres não se afastaram da luta até os dias de hoje.

Lembram que eu os convidei?! Então.. A marcha foi muito boa e lindamente colorida pela diversidade e criatividade. Com a participação de diversos movimentos sociais, o movimento de mulheres parou o trânsito.

Estávamos na rua exigindo dos governantes políticas publicas eficientes para as mulheres. Declarando que não aceitamos a violência, a mercantilização do corpo da mulher, não aceitamos o racismo, a homofobia, nem a lesbofobia.. Não ao latifúndio e ao deserto verde, queremos reforma agrária para as mulheres do campo. Redução da jornada para as mulheres da cidade. Pela autonomia do corpo. “Educação pra previnir, Contraceptivos pra não abortar, Aborto pra não morrer”

A luta de mulheres não é para ser igual aos homens e sim para sermos  todos “socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres”.

Então… fotinhaaas! Dá uma olhada no banho de chuva no começo da marcha:

E depois rolou um solsão…

Lutamos pela transformação social. Sem feminismo não há socialismo!

A semana passada começou com o Dia Internacional das Mulheres. E da Rússia por “Pão e Paz” aos EUA por melhores salários e redução da jornada… as mulheres não se afastaram da luta até os dias de hoje.

Lembram que eu os convidei?! Então.. A marcha foi muito boa e lindamente colorida pela diversidade e criatividade. Com a participação de diversos movimentos sociais, o movimento de mulheres parou o transito.

Estávamos na rua exigindo dos governantes políticas publicas eficientes para as mulheres. Declarando que não aceitamos a violência, a mercantilização do corpo da mulher, não aceitamos o racismo, a homofobia, nem a lesbofobia.. Não ao latifúndio e ao deserto verde, queremos reforma agrária para as mulheres do campo. Redução da jornada para as mulheres da cidade. Pela autonomia do corpo. “Educação pra previnir, Contraceptivos pra não abortar, Aborto pra não morrer”

A luta de mulheres não é para ser igual aos homens e sim para sermos “socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres”.

Dá uma olhada no banho de chuva no começo da marcha:


Espero todos lá.. Vamos juntos exigir transporte de qualidade e gratuito. Movimentar-se direito de todos!

MPL


“Quem não se movimenta não sente as correntes que o prendem” Rosa Luxemburgo


Tah ligado… daquele bafão do Boris? … vê aqui.

Uma resposta pouco radicalizada ai.  E eu torço mto para ele ser execrado do mundo. É bloco da opinião burguesa e pá..  Isso é uma vergonhaa!


Como todos já devem estar cientes… Hoje às 16h começou o ato contra o aumento da passagem do transporte coletivo.

Mas acabo de saber que  o ato foi radicalizado e os manifestantes ocuparam o prédio do SETPES (Rua Constante Sodré, 165, Santa Lúcia, Vitória). E pretendem resistir o maior tempo possível.
Convocamos TODOS para se juntar aos companheiros! Precisaremos do máximo de pessoas possivel.

Quem tiver o contato de alguma atração cultural (banda, malabaristas, teatro) que não precise de energia e que possa se apresentar lá, seria muito interessante.
É importante também levar água, comida e etc…