Uma dor na nuca que tem origem nas milhões de explosões de um mundo feito de eventos incontroláveis. Como a passividade nunca foi uma característica minha, a intervenção está sempre a menos de um piscar de olhos.
Meus braços não deram conta, estiquei as mãozinhas e ainda assim… Que mundo grandão.
Surtei.
Mas no limite da razão o remédio é pensar em quem nos inspira.
De repente veio você e me envolveu num monte de esperanças, aconchegos e certezas. E agora, no limite ou não, ando persistindo todos os dias.

“Diz pra mim que vai e que volta mais…”

Anúncios