Que felicidade é chegar na sala e ver rosas amarelas de manhãsinha.
Essa coisa de flores sempre me encantou, muito pela questão do cultivo. Não o biológico de que elas precisam ser tratadas, aguadas e lala.. Mas o que elas representam no cultivo de relações. Não bastam flores, elas precisam ser sinceras, inesperadas, espontâneas e dedicadas.
Hoje meu avô foi a floricultura e trouxe rosas amarelas. A casa toda sorriu.
Sempre foi isso que me encantou… A delicadeza de pensar o que pode fazer as pessoas que a gente ama felizes, pensar que gestos tão simples podem trazer poesia para os dias comuns.
As vezes fico triste, mau humorada… meu tio não traz rosas, traz danoninho. Desde criança esse é o jeito dele de me dizer que se importa.
Eu quero a vida assim.. me importando com as pessoas e me dedicando a cultivar a beleza na realidade delas. Não é uma questão de querer contos de fadas, mas sim revoluções nas quais eu possa dançar.

Anúncios