Experimentando…

——

Esse é a primeira pesquisa preparatória que participo de todo o processo no meu novo estagio no Museu de Arte do Espírito Santo, MAES, no Setor de Arte Educação.

A função do nosso setor é provocar o olhar do visitante e ajudá-lo a interiorizar a proposta artística. Na mediação transmitimos algumas informações sobre o artista, obra, contexto histórico e etc… e também procuramos estimular que o visitante fale de suas impressões e da forma como ele compreende as obras. A mediação não é uma aula, mas sim uma oportunidade de dialogar sobre o que se apresenta.

Entendo que a arte é passível de diferentes interpretações, para além do que o artista propõe o expectador traz varias de suas experiências e de suas concepções. O que da, a cada um, uma forma singular de interiorizar a proposta.

A próxima exposição é do artista contemporâneo Nuno Ramos. E é fruto de uma parceria com o SESC que realiza um projeto de mostras itinerantes, o ArteSESC. “Só Lâmina” consiste em 11 desenhos, um múltiplo – Carolina – e um filme – Luz Negra.

No museu sempre há um período entre exposições em que o espaço físico é reformado. Mudam-se as cores das paredes, é plotado o texto curatorial e montada a nova exposição. Além disso, nós do setor de arte educação fazemos nossa parte do trabalho que é estudar.

As etapas de pesquisa são:

– Lemos textos indicados pela coordenação de Arte Educação. São sempre textos que falam da vida e obra do artista, além do recorte curatorial da exposição. Ficam sempre a disposição também livros complementares.

– Pesquisamos na internet, livros e etc, a procura de mais informações sobre o artista, sua obra, contexto histórico, escola a que ele pertencia ou qualquer questão que complemente e embase nossa mediação.

– Todos os mediadores fazem um brainstorm e depois lemos uns dos outros. (Pra quem não sabe o que é… Brainstorm é uma técnica desenvolvida para explorar a potencialidade criativa de um indivíduo ou de um grupo. Escrevemos palavras ou frases que nos remetam a o objeto, no caso a exposição. Isso nos orienta na hora de mediar.)

– Roteiro de mediação. O museu recebe diferentes públicos e nós procuramos nos preparar para atender a todos da melhor forma possível. Por isso planejamos a mediação para cada grupo especifico de visitante e são eles: famílias, turistas, universitários, melhor idade, projetos sociais, ensino fundamental e ensino médio. Cada um de nós fica responsável por pensar e escrever um roteiro de mediação para um destes grupos, depois os roteiros são compartilhados.

– Reuniões semanais. Todas as semanas têm reuniões em que debatemos as nossas leituras e pensamos possíveis problemáticas da exposição.

Depois disso..  recebemos o visitante com um sorriso.

Eu acredito que o contato com a arte acrescenta a cada visitante uma reflexão que pode.

E para encerrar tem uma frase de Beyus que gosto muito “Libertar as pessoas é o objetivo da arte, portanto a arte para mim é a ciência da liberdade.” Eu espero ajudar nesse processo.

Ps. Postarei depois meu brainstorm, reflexões e pesquisa sobre a exposição, sobre Nuno Ramos e sobre varias outras coisas que orbitam em torno desse artista brasileiro que tanto me encanta. Espero que vocês apreciem tanto quanto eu estou gostando de estudá-lo.

Anúncios