A semana passada começou com o Dia Internacional das Mulheres. E da Rússia por “Pão e Paz” aos EUA por melhores salários e redução da jornada… as mulheres não se afastaram da luta até os dias de hoje.

Lembram que eu os convidei?! Então.. A marcha foi muito boa e lindamente colorida pela diversidade e criatividade. Com a participação de diversos movimentos sociais, o movimento de mulheres parou o trânsito.

Estávamos na rua exigindo dos governantes políticas publicas eficientes para as mulheres. Declarando que não aceitamos a violência, a mercantilização do corpo da mulher, não aceitamos o racismo, a homofobia, nem a lesbofobia.. Não ao latifúndio e ao deserto verde, queremos reforma agrária para as mulheres do campo. Redução da jornada para as mulheres da cidade. Pela autonomia do corpo. “Educação pra previnir, Contraceptivos pra não abortar, Aborto pra não morrer”

A luta de mulheres não é para ser igual aos homens e sim para sermos  todos “socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres”.

Então… fotinhaaas! Dá uma olhada no banho de chuva no começo da marcha:

E depois rolou um solsão…

Lutamos pela transformação social. Sem feminismo não há socialismo!

A semana passada começou com o Dia Internacional das Mulheres. E da Rússia por “Pão e Paz” aos EUA por melhores salários e redução da jornada… as mulheres não se afastaram da luta até os dias de hoje.

Lembram que eu os convidei?! Então.. A marcha foi muito boa e lindamente colorida pela diversidade e criatividade. Com a participação de diversos movimentos sociais, o movimento de mulheres parou o transito.

Estávamos na rua exigindo dos governantes políticas publicas eficientes para as mulheres. Declarando que não aceitamos a violência, a mercantilização do corpo da mulher, não aceitamos o racismo, a homofobia, nem a lesbofobia.. Não ao latifúndio e ao deserto verde, queremos reforma agrária para as mulheres do campo. Redução da jornada para as mulheres da cidade. Pela autonomia do corpo. “Educação pra previnir, Contraceptivos pra não abortar, Aborto pra não morrer”

A luta de mulheres não é para ser igual aos homens e sim para sermos “socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres”.

Dá uma olhada no banho de chuva no começo da marcha:

Anúncios