Eu não estudo direito, nem trabalho. Ainda assim, tenho tantas coisas pra fazer… inacreditável.

Nunca escrevi tantos e-mails em tão pouco tempo, como nos últimos 40 minutos.  Alimento-me tão mal, ultimamente… vegetarianismo-macarrão  ridículo!

Quero um emprego de verão. Trabalhar, juntar algum dinheiro e morrer na esbornia em pleno carnaval.

Não tenho escrito aqui direito, tenho usado de mural. Coisa de militância, sim. Sou do CADArtes e do DCE UFES, isso que ocupa meu tempo sobretudo meus interesses. Tantas idéias, alguma ação.

Faço Artes, amo Desing, babo na moda, leio poesia, penso política.. Mas quero dar aulas no próximo ano e talvez eu goste de Critica de Arte, talvez eu me interesse por curadoria e talvez por promoção de eventos culturais.

Vidinha anda bagunçada. Às vezes morro de tristeza, outras quase choro de alegria. Sobretudo estou serena em meio ao furacão. Vivendo (quase) bem, querendo bem.. estou bem!

A quantidade de alcool e cigarros que consumi começam a me incomodar. Mas o que fazer..  se a boemia é tão bela e se meus amigos são descontroladamente  contagiosos?! Como diria Chico “..vou pra rua e bebo a tempestade…” Ainda assim, resolvi frear.

Estou lendo um livro de memórias especial. Que cita meu nome varias vezes e veio de longe falando espanhol.

Mudei de celular. Provavelmente perdi seu número, caro leitor.

Ouço Michael Burblé. Às vezes não gosto dele, em todas as outras me agrada profundamente. Ele é como você clássico, maduro, sedutor…  O disco que tem tocado sempre em minhas noites  é “Caetano e Chico – Juntos e Ao Vivo” de 1972. “Deus me deu muita saudade e muita preguiça…”.

Alias, Caetano a pouco tempo fez uma das avaliações mais transloucadas sobre a conjuntura política, presidência do Brasil e talz.  Me envergonha não Caetano, porra!

Considere o texto terminado, por favor. Meus olhos grandes já pesam de sono. Meu coração está acelerado, pois é assim que fico quando as 2h da manhã a voz doce de Caetano diz “..lágrimas nos olhos de cortar cebola, você é tão bonita…” e em seguida Chico forte, emocionante  “me sorri um sorriso pontual e me beija com a boca de hortelã…”

Eu, Tarsila, Caetano e outros  somos antropofágicos. Porque eu..  EU COMO, EU COMO, EU COMO…  VOCÊ!

Anúncios